[A DAY IN THE LIFE] Raphael Barreto, FCB

raphabarreto


Qual seu nome completo?

Raphael NONONO de NONONO Barreto.

Qual seu apelido?

Rapha (super original).

Qual seu cargo oficial no trabalho?

VP de Planejamento na FCB Brasil.

Como você contaria para sua mãe o que faz profissionalmente?

Então, mãe, saca aquilo que a senhora sente e pensa sobre a marca? Não, mãe. É justamente o que eu não faço: o comercial de TV. Pensa sobre o que a senhora sente e pensa sobre uma marca. Sei lá… a Brastemp, por exemplo. Não, mãe. Eu não faço o comercial da Brastemp. Adoraria ter feito, mas é só um exemplo. Não, mãe. Não fui eu que fiz esse. Sério. Mãe, eu tinha uns 10 ou 15 anos nessa época, sei lá. Sim, é uma pena mesmo eu não ter feito essa… Eu sei que a senhora gostava daquela campanha da poltrona com os dois moços… Sim, eu conheço essa, mãe. Então, deixa eu falar, calma. Pensa que o filme dos dois moços é parte do que a senhora vê materializado como execução publicitária, mas o que a senhora sente, o que a senhora pensa sobre esta marca foi o planejador que, digamos, projetou para a senhora sentir. Não, mãe. Nã… Não. Não sou que desenho o logo. Não, mãe. O slogan também não… Se bem que passa por isso, às vezes. Mas é função da Criação fazer o slogan também. Oi? Por que eu não sou da Criação? Porque eu prefiro estar antes, saca? Criar o conceito, pensar a estratégia… Sim, eu crio o conceito, mas não chama Criação. Não é o conceito já na forma publicitária, saca? É um caminho conceitual. É diferente. Pensado a partir de uma análise longa e profunda do cenário e do objetivo da empresa que termina numa estratégia… É. Não… Sim… Não… Mãe, veja… NÃO, MÃE! CARALHO! NÃO É ISSO, PORRA (silêncio) Mãe? (silêncio) Desculpa, mãe. (silêncio) Foi mal, me exaltei. Tá meio complicado no trabalho, trabalhando demais, a senhora sabe, né? Oi? A senhora vai dormir? Mas são 5 da tarde, mãe. Indisposta? Tá. Tá bom, mãe. Domingo eu tô aí, então. Venho pro almoço. Trago o bolo do aniversário e tudo, não se preocupa com nada. Tá. Beijo. Fica bem aí. Tchau.

E como você descreve tecnicamente o que faz?

Eu projeto o que as pessoas sentem sobre uma marca e como essas sensações e impressões serão construídas nas pessoas.

Por favor, escreva em uma sentença o que você geralmente está fazendo em cada um desses horários de um dia útil comum.

09:00 – Cantando no carro / Indo para o trabalho / Atrasado para o trabalho.

11:00 – Resolvendo alguma bucha ou procrastinando.

13:00 – Almoçando / Lendo alguma coisa.

15:00 – Enchendo o saco do César, do Kiko ou de qualquer outra pessoa da equipe, com uma ideia de pouquíssimo cabimento.

17:00 – Debatendo alguma coisa com alguém sobre alguma coisa de algum cliente.

19:00 – Lendo sobre o Universo / pornografia leve / conversando com alguém sobre ideias idiotas.

21:00 – Jantando e cozinhando / Bebendo mais do que deveria num dia de semana / Andando pela cidade com algum amigo / Namorando / Ouvindo música, bem alto / Conversando comigo mesmo.

Se você tivesse que abandonar seu emprego/trabalho neste exato momento, o que deixaria de acontecer no trabalho como consequência disso?

Eu gosto de pensar que quase nada. Eu trabalhei bastante pra agrupar e desenvolver um monte de gente melhor que eu. Eles continuariam a fazer o trabalho que considero, hoje, bom e que vai continuar melhorando com o tempo. Seria muita presunção achar que seria uma catástrofe.

Qual foi a coisa mais interessante que você fez profissionalmente nos últimos 30 dias?

Eu ajudei a agência a estruturar um novo processo de trabalho mais colaborativo, que ajuda a ter mais cérebros, de diferentes áreas, a resolver problemas.

E qual foi a pior coisa que você teve que fazer profissionalmente nos últimos 30 dias?

Participar de uma reunião que o prospect adorou tudo, mas decidiu cancelar a concorrência depois do trabalho feito.

Quem é a pessoa que se senta ao seu lado?

Na minha frente senta o Pedro Gravena, o head de digital da agência. Ele é meio um professor pardal bacanudo.

O que você está vestindo hoje?

Moletom cinza, camiseta cinza, calça jeans, tênis iate branco. Tô bem bonito, acho.

Que conselho você daria pra alguém que esteja almejando seu posto atual?

Não ache que criatividade é o fim. Criatividade é o meio para fazer coisas neste negócio acontecerem. Em outras palavras: você não está aqui para ser o inteligentão. Está nesse negócio para vender coisas. Desenhe algo relevante para as pessoas que faça isso. Não perca, nunca, isso de vista.

O que você gostaria de ter sabido antes de começar sua carreira?

Honestamente? Nada. O mais legal da vida é não saber.


A DAY IN THE LIFE é uma versão brasileira da sessão criada pelo site do APG-UK.

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s